Banner_10-5-16

25
jan

Atualmente, considera-se a educação um dos setores mais importantes para o desenvolvimento de uma nação. É através da produção de conhecimentos que um país cresce, aumentando sua renda e a qualidade de vida das pessoas. Embora o Brasil tenha avançado neste campo nas últimas décadas, ainda há muito para ser feito. A escola (Ensino Fundamental e Médio) ou a universidade tornaram-se locais de grande importância para a ascensão social e muitas famílias tem investido muito neste setor.

 

Pesquisas na área educacional apontam que um terço dos brasileiros frequentam diariamente a escola (professores e alunos). São mais de 2,5 milhões de professores e 53 milhões de estudantes matriculados em todos os níveis de ensino. Estes números apontam um crescimento no nível de escolaridade do povo brasileiro, fator considerado importante para a melhoria do nível de desenvolvimento de nosso país.

 

Uma outra notícia importante na área educacional diz respeito ao índice de analfabetismo. O Censo de 2010 (IBGE) mostra uma queda no índice de analfabetismo em nosso país nos últimos dez anos (2000 a 2010). Em 2000, o número de analfabetos correspondia a 13,63% da população (15 anos ou mais de idade). Esse índice caiu para 9,6% em 2010 e para 8,3% em 2014 (IBGE).. Ou seja, um grande avanço, embora ainda haja muito a ser feito para a erradicação do analfabetismo no Brasil. Outro dado importante mostra que, em 2006, 97% das crianças de sete a quatorze anos frequentavam a escola.

 

 

Esta queda no índice de analfabetismo deve-se, principalmente, aos maiores investimentos feitos em educação no Brasil nos últimos anos. Governos municipais, estaduais e federais tem dedicado uma atenção especial a esta área. Programas de bolsa educação tem tirado milhares de crianças do trabalho infantil para ingressarem nos bancos escolares. Programas de Educação de Jovens e Adultos (EJAs) também tem favorecido este avanço educacional. Tudo isto, aliado a políticas de valorização dos professores, principalmente em regiões carentes, tem resultado nos dados positivos.

 

Outro dado importante é a queda no índice de repetência escolar, que tem diminuído nos últimos anos. A repetência acaba tirando muitos jovens da escola, pois estes desistem. Este quadro tem mudado com reformas no sistema de ensino, que está valorizando cada vez mais o aluno e dando oportunidades de recuperação. As classes de aceleração também estão dando resultados positivos neste sentido. 

 

A LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação), aprovada em 1996, trouxe um grande avanço no sistema de educação de nosso país. Esta lei visa tornar a escola um espaço de participação social, valorizando a democracia, o respeito, a pluralidade cultural e a formação do cidadão. A escola ganhou vida e mais significado para os estudantes.

 

A Educaline sempre trabalha em benefício dos alunos e professores com os melhores cursos de Educação para professores. Aprenda e ensine com os melhores e mais preparados profissionais com cursos para elevação funcional e validados pela Lei federal do MEC para cursos de aperfeiçoamento e capacitação.

24
jan

A partir de março, boletos bancários poderão ser pagos em qualquer agência após o vencimento. A novidade, que deve facilitar a vida de muita gente, foi divulgada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). A entidade está desenvolvendo um sistema que busca garantir mais segurança e evitar fraudes milionárias - possibilitando que todos os boletos passem a ser registrados em uma única plataforma até o fim do ano. A mudança também trará o benefício do pagamento do boleto em qualquer agência.  

Segundo a Febraban, o número de boletos emitidos no país chegou a 3,7 bilhões em 2015. A quantidade chamou a atenção de quadrilhas especializadas em fraudes, que conseguiram aplicar golpes no ano passado que somam R$ 320 milhões. 

A nova plataforma também deve evitar problemas como erro no preenchimento de informações e o pagamento de títulos em duplicidade. As mudanças ocorrerão de forma gradual até o fim do ano. Em março, entrarão no sistema os boletos com valor acima de R$ 50 mil. Após dois meses, será a vez da fatura a partir de R$ 2 mil. Até dezembro, todas as faturas, independentemente do valor, entrarão no sistema. 

14
jan

O ensino médio terá currículo flexibilizado e será integral nas escolas a partir do primeiro semestre de 2017. A mudança foi oficializada nesta quinta-feira (22) pelo presidente da República, Michel Temer (PMDB), e pelo ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM).

A reformulação do ciclo foi feita por meio de medida provisória, segundo Temer e Mendonça Filho, devido "à relevância e urgência de melhorias". Considerado um dos principais gargalos do Brasil, o ensino médio não cumpriu a meta do último Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). O índice é divulgado a cada dois anos. 

Atualmente, os alunos cursam 13 disciplinas durante os três anos do ciclo escolar. Com a MP, o currículo será flexibilizado e o aluno escolherá as disciplinas que deseja cursar conforme suas áreas de interesse. 

A medida provisória também prevê que 50% dos matriculados cumpram jornada escolar em tempo integral, de no mínimo sete horas, nos próximos dez anos.

https://t.dynad.net/pc/?dc=5550001892;ord=1484406585203https://t.dynad.net/pc/?dc=5550001580;ord=1484406589772"O novo ensino médio tem por pressuposto inicial o protagonismo do jovem", declarou Mendonça. A implantação terá um investimento de R$ 1,5 bilhão ao longo de dois anos até o final da gestão do governo Temer. Calcula-se que 500 mil jovens estejam em escola de tempo integral até 2018. 

"Não podemos ser passivos, não podemos ser tolerantes. Precisamos ter coragem de mudar. E essa não é uma mudança imposta. É uma mudança discutida", definiu o ministro.

"Educação também deve servir para qualificação ao trabalho", diz Temer

No discurso breve, Temer negou que o governo pretenda fazer cortes em educação e defendeu que, com as medidas da reforma, "serão construídas as bases de um desenvolvimento sustentável".

"No nosso governo não haverá redução de verbas para a educação; a responsabilidade fiscal e a responsabilidade caminham juntas", disse.

Para o peemedebista, a reforma contempla o que ele chama de "Estado eficiente, aquele que seja capaz de prestar serviços de qualidade aos cidadãos. O novo Ensino Médio fará isso", declarou Temer, segundo o qual a nova estrutura "visa à nova vocação dos jovens". "A educação deve servir para a qualificação para o trabalho, também", completou.

MP "é preocupante", diz especialista

Para o coordenador-geral da CNDE (Campanha Nacional pelo Direito à Educação), Daniel Cara, a reformulação do ensino médio ser feita por meio de uma medida provisória é preocupante. Além disso, pontos importantes de atenção, como o financiamento da educação e a política de formação dos professores, não constam dentro do projeto de mudança.

"A MP é uma medida proveniente da ditadura militar, permite que o poder Executivo seja um super legislador. Diante de governos frágeis e pouco preocupados em corresponder aos cidadãos, a MP, como instrumento legislativo, torna-se um perigo", criticou.

O que é uma medida provisória?

A MP é um instrumento com força de lei que é adotada pelo presidente da República em casos considerados urgentes. Ela tem efeito imediato e um prazo de validade de até 60 dias, prorrogáveis por igual período.

Para a medida provisória se transformar definitivamente em Lei, é preciso a aprovação do Congresso Nacional. Em caso de aprovação, a MP é encaminhada para sanção presidencial, que pode vetar o texto parcial ou integralmente, caso discorde de eventuais alterações feitas durante o processo.

© EDUCALINE BRASIL | Todos os direitos reservados | Powered by TOTALIZE INTERNET STUDIO